EU, O ÔNIBUS, A SENHORA E A BOLSA

quinta-feira, novembro 10, 2016

 Terça-feira, 08 de novembro.Pego um ônibus no centro da cidade para voltar pra casa. Sento. Me levanto pra pedir umas informações ao cobrador de ônibus e ao retornar ao meu assento bati levemente minha bolsa no braço de uma senhora de que aparentava ter aproximadamente uns 40 anos. Imediatamente pedi desculpas.
 A reação dela me fez entrar em uma rápida reflexão, e que quero compartilhar com vocês:



Fiquei pensando como é fácil ser gentil com alguém que não está te vendo, dizer "obrigada" sem realmente sentir gratidão, cair no riso com vários "kkk's" quando na verdade a sua expressão é no máximo um sorrisinho de canto de boca. É cada vez mais fácil ser super amigo de alguém, você não precisa sentir as dores dela, não precisa se importar. Tudo se resolve com um lindo emoji de coração.

A superficialidade das relações é bem mais preocupante quando isso passa a ser algo corriqueiro na vida das pessoas. Não é necessário sorrir pra alguém na rua, pois é muito fácil mandar aquela carinha amarela com todos os dentes a mostra. Só que pessoalmente é chato, não tem assunto. É vergonhoso ...

Parando pra pensar no porquê temos uma massa de jovens "maria vai com as outras" se engalfinhando na internet, discutindo isso e aquilo, fazendo uma guerra de "minha dor é maior que a sua", chego à conclusão que  a superficialidade nos relacionamentos é a maior causa. Se eu gosto de uma pessoa, eu a mantenho no meu círculo de amizades virtual: aceito no facebook e sigo no instagram mas se ela me desagrada é muito fácil de resolver essa pendência: deixo de segui-la nas minhas redes sociais.Se a outra pessoa discorda da opinião entâo, nossa! aí a cyberguerra está decretada! E o pior de tudo isso é que esse comportamento tem se tornado uma ideia, digamos... madura. (risos).

Aquela  senhora do ônibus, talvez não se encaixe bem no que disse acima. Mas ela se encaixou perfeitamente nas relações superficiais que neste caso vou chamar de Relações Desnecessárias.
Aquela senhora tratou comigo uma Relação Desnecessária. Aqui, não é preciso ser gentil. Não sou obrigada a sorrir, não sou obrigada a aceitar desculpas de ninguém. Estou no meu direito, afinal, não sou obrigada a nada! Ah essa frase ... já ecoou muito na minha cabeça e já usei. NÃO SOU OBRIGADA A NADA. Engano meu, sou obrigada sim. Se quero ser bem tratada, com gentileza pelos outros, é de obrigação minha ser gentil e educada também. É obrigação tua.
Porque querer que sejam conosco aquilo que não somos com os outros é no mínimo injusto.


A reação daquela senhora foi me fuzilar com um olhar e virar o rosto pra janela do ônibus. Ela não foi gentil e muito menos educada aceitando as minhas desculpas, foi mais confortável pra ela tratar uma Relação Desnecessária. Não sei se um dia irei vê-la de novo mas se isso acontecer quero agradecê-la por me dar esse estalo e me fazer refletir sobre o quanto estou disposta a ser gentil, educada, verdadeira e mais presente para outro alguém. E o quanto preciso melhorar minhas relações na internet e fora dela e que emojis não são o melhor que posso dar de mim.


You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts

Twitter

Pinterest